quinta-feira, 17 de março de 2011

Origens

ouve épocas em que, com certa naturalidade, se formavam vários ranchos que disputavam a simpatia do povo. Daí a se criarem rivalidades, rixas e até zaragatas entre componentes e simpatizantes desses grupos rivais. Dos ranchos que deixaram nome através de gerações e que, entre as gentes de Buarcos ainda hoje se houve falar, são: o Rancho dos Filipes e o Rancho dos Palecos - os mais importantes quer pela sua forma vigorosa de dançar, quer pelas brigas que ambos travavam. Com o decorrer dos anos os vários grupos foram-se extinguindo perdurando até hoje o Rancho das Cantarinhas, cujo próprio nome deduz a utilização de cantarinhas e no caso deste grupo de renome internacional, caracterizado pelo facto das raparigas dançarem com as mesmas à cabeça.
Este costume, manteve-se desde a época que não havia água canalizada em casa, cabendo às mulheres a tarefa de se munirem de canecos, potes ou cântaras (cantarinhas) que transportavam na cabeça para irem aos fontanários públicos abastecerem-se do precioso líquido. Reza a tradição que em dias especiais (domingos, feriados, dias festivos) as raparigas se agrupavam para irem à fonte e no regresso seguiam em forma de marcha, ensaiada previamente segundo a imaginação de um componente mais habilidoso. Eis que uma ou outra rapariga quer pelo entusiasmo da dança, quer para se destacar de entre as suas rivais, decidiu não tirar a cantarinha da cabeça, fazendo prodígios de equilíbrio mesmo com a água que transportavam. Muitas outras seguiram a sua façanha.





Sem comentários:

Enviar um comentário